Perguntas Frequentes

  • Qual o objetivo deste relatório?

    O objetivo deste relatório é destacar o impacto econômico local do Google no Brasil. Há anos falamos sobre o impacto econômico do Google, mas com frequência as pessoas pediam para que o Google mostrasse “números concretos”. Nosso objetivo ao organizar este documento é calcular uma estimativa do valor líquido oferecido pelo Google para anunciantes e publicadores de sites. Se o Google deixasse de existir de repente, o que aconteceria de imediato com anunciantes, publicadores e organizações sem fins lucrativos que recebem nosso apoio?

    Nesse cenário hipotético, é evidente que outros provedores entrariam em cena para preencher a lacuna deixada pelo Google. Por isso, a análise apresentada aqui deve ser considerada apenas para o curto prazo.

  • Como vocês calculam essas estimativas?

    Usamos diversas fontes de dados para obter uma estimativa conservadora do impacto econômico do Google: a receita que obtivemos em 2019 com o Google Ads e com os resultados das buscas no Google.com; os valores que pagamos em 2019 aos parceiros do AdSense; as doações em publicidade gratuita que oferecemos em 2019 a organizações sem fins lucrativos, por intermédio do Google Ad Grants e os valores pagos a criadores do YouTube e desenvolvedores do Google Play em 2019.

    Nossa estimativa inclui uma parte limitada do nosso negócio, e baseia-se em cálculos conservadores. Um exemplo: ela não inclui a redução de custos para consumidores que, hoje, têm acesso mais fácil do que tinham antes às informações que desejam encontrar. A estimativa também deixa de fora os benefícios econômicos de outros produtos Google, como Google Maps ou Android.

  • Como vocês determinam que o valor do Google Ads é de 1,5 a 3 reais para cada real investido?

    Hal Varian, economista-chefe do Google, observou o custo por clique numa ampla amostra de anunciantes para embasar sua estimativa do valor econômico criado pelo Google Ads. Partindo da premissa de que os anunciantes procuram maximizar seus lucros, calculamos que o valor obtido pelos anunciantes varia num intervalo 1,5 a 3 vezes seus gastos totais com o Google Ads.

  • Como vocês chegaram à relação de 5:1 entre os cliques na busca e nos anúncios?

    Esse índice indica que existem 5 cliques nos resultados de busca de um anunciante para cada clique no anúncio. No estudo que mencionamos, os pesquisadores Bernard Jansen e Amanda Spink usaram dados do mecanismo de busca Dogpile – e essa foi a relação observada no conjunto de dados (o número exato foi 5,3:1, mas arredondamos para baixo para ser conservadores). Para mais informações, leia o estudo dos pesquisadores (em inglês).

  • Por que vocês agregam o número de anunciantes e publishers e o valor recebido por eles, em vez de separá-los?

    De acordo com nossa política de divulgação de dados financeiros, não fazemos uma divisão explícita desses números.

  • Vocês afirmam que os cliques nos resultados da busca não necessariamente têm o mesmo valor que os cliques em anúncios. Por quê?

    Evidências mostram que os cliques em anúncios têm mais valor do que os cliques em buscas. Em primeiro lugar, porque o anunciante controla a mensagem transmitida pelo anúncio. Muitos anunciantes pagam para exibir publicidade mesmo quando seu site aparece no topo do resultado da busca. Se considerássemos que um clique no resultado da busca equivale a um clique num anúncio, o valor oferecido pelo Google aos anunciantes seria maior do que o número que registrado neste relatório. Para sermos conservadores, não partimos da premissa de que os cliques na busca tenham o mesmo valor que os cliques em anúncios, e sim supomos que o valor do clique na busca equivale a 70% do valor do clique na propaganda.

  • Onde encontro mais informações sobre a metodologia usada pelo Google?

    Não deixe de ler a página “Como calculamos a estimativa do valor da Busca e do Google Ads”. Link.

  • Como minha empresa pode usar as ferramentas do Google?

    Visite a página Soluções para Empresas.

  • Quais recursos o Google oferece para empresas que estejam entrando na Internet?

    Todos as empresas que queiram criar sua presença na internet podem criar um perfil gratuito no Google Meu Negócio. O perfil será exibido quando as pessoas procuram a empresa, ou empresas semelhantes, na Pesquisa Google ou no Maps, além de ter a possibilidade de criar um site com a partir da mesma informação que já foi cadastrada na ferramenta. Outro recursos que o Google oferece para quem está começando é o Google Primer, um aplicativo educacional gratuito a aprenderem novas habilidades de negócio e de marketing digital.

    Além disso, o Google lançou o site Google para PMEs que ajuda nos primeiros passos de divulgação na Web. A plataforma conta com uma página de dicas para empreendedores que estão em diferentes fases de transição para o mundo digital.

    Vale mencionar, também, o site Em Casa, que reúne informações para empreendedores que desejam aprender mais sobre o mercado on-line e como gerir seus negócios dessa forma.

  • Esta é a primeira vez que vocês divulgam essas informações?

    Nós divulgamos relatórios nos EUA em 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2018 e 2019. No Brasil, é o nosso terceiro relatório de impacto econômico, sendo o segundo realizado com metodologia própria. Nossa intenção é continuar publicando relatórios anualmente.