Introdução

Os brasileiros sempre enxergaram na internet uma forma de viajar sem sair de casa, encontrar amigos e familiares, conectar-se com suas referências, buscar informações, fazer negócios e muito mais. É como se tivéssemos uma habilidade, quase natural, que nos leva em direção ao que é novo e capaz de gerar transformação, seja por necessidade ou simplesmente por curiosidade.

A pandemia da COVID-19 transformou essa vocação em uma ferramenta de sobrevivência para lidar com um período sem precedentes, que colocou a vida de todos em risco, virou a nossa rotina de cabeça para baixo, obrigou bilhões de pessoas a se resguardarem em casa e acabou afetando a economia e transformando a sociedade.

Empresas que dependiam de espaços físicos para girar seus negócios se viram sem clientes da noite para o dia. Mesmo aquelas, que já investiam forte no digital para alcançar consumidores, foram obrigadas a rever planos e a reimaginar suas operações. Em ambos casos, muitos líderes empresariais perceberam que estavam longe de estarem prontos para os desafios impostos pela pandemia.

É justamente em momentos assim que as pessoas são estimuladas a tomar ações rápidas e assertivas. A necessidade de manter negócios funcionando tornou o conceito de transformação digital uma prioridade na estratégia de empresas de todos os tamanhos. Em questão de dias, grandes empresas moveram sua operação de presencial para remota e encontraram formas de atender uma grande massa de pessoas que passaram a colaborar, comprar e se divertir à distância.

No outro extremo, pequenos empreendedores quebraram a cabeça para encontrar formas de manter suas empresas de pé em meio a tantas restrições. Ao se verem obrigados a fecharem seus negócios, muitos brasileiros tiveram de criar do zero sua infraestrutura de e-commerce, fechar parcerias para entregar seus produtos e promover uma verdadeira revolução em sua logística de distribuição. Nunca foi tão importante usar a tecnologia para entender as mudanças no comportamento dos consumidores.

A boa notícia é que vários conseguiram fazer do limão uma limonada, usando a pandemia como uma oportunidade para reestruturar seus negócios e sair mais forte deste período incerto, como é possível ver nos depoimentos presentes neste relatório.

São histórias como a do palhaço Chochou, que aprendeu a anunciar por meio de nossas plataformas para divulgar que também estava fazendo apresentações on-line, ou das empreendedoras por trás dos lindos produtos da Xique Xique Brasil, que perceberam que, apesar da suspensão de celebrações, como batizados, havia espaço para atender uma demanda crescente de mães que passaram a comprar o enxoval de seus bebês pela internet.

Mesmo os fundadores de startups tiveram de achar outras formas de gerar impacto: a Consumer, por exemplo, cresceu o número de clientes de sua solução de delivery para restaurantes em mais de 40%, o que permitiu que mesmo num ano difícil, os empreendedores aumentassem o quadro de funcionários de 30 para 70 pessoas.

Para mim, estas e outras histórias são ótimos exemplos do que acontece quando combinamos a resiliência do empreendedor brasileiro com as oportunidades que aparecem ao adotarmos novas tecnologias.

Do lado do Google, apesar das limitações impostas pela pandemia, conseguimos manter nosso compromisso de funcionar como um motor de crescimento para o país. Nos esforçamos ao máximo para conectar as empresas a informações, produtos e serviços capazes de transformar seu dia a dia e impulsionar seus negócios.

O tempo todo estivemos ao lado dos nossos clientes e parceiros, ajudando-os a atravessar a tormenta. Hoje, percebemos que muitos deles apresentaram uma evolução sem igual, acelerando mudanças que estavam previstas para acontecer somente nos próximos anos. E isso já está rendendo bons frutos.

É por isso que a divulgação do nosso Relatório de Impacto Econômico me deixa muito orgulhoso. O estudo mostra que, somente em 2020, nós ajudamos mais de 207 mil empresas, organizações não-governamentais, publishers, criadores e desenvolvedores, movimentando mais de R$ 67 bilhões em atividade econômica no Brasil por meio da Busca, de nossas plataformas de publicidade, do Google Play e do YouTube.

O aumento de mais de 30% no valor movimentado quando comparado com os dados do nosso Relatório referente a 2019 é um indicativo de que as empresas aceleraram sua digitalização durante a pandemia e estão colhendo os resultados, provando que a internet é, cada vez mais, uma ferramenta de propulsão da atividade econômica.

O Relatório de Impacto Econômico confirma nossa busca incessante para que nossos produtos continuem a ser úteis e relevantes para todos os brasileiros, promovendo diversidade, cultura e inclusão. Cientes de nossa responsabilidade, também temos apoiado as comunidades mais afetadas durante a pandemia e, por isso, já destinamos mais de R$ 150 milhões para apoiar diferentes iniciativas de combate aos impactos da COVID-19, em especial, àqueles que têm fome.

Como todos os brasileiros, torço para que a pandemia acabe logo e para que possamos retomar nossas atividades e rever bem de perto aqueles que queremos bem.  Espero também que as empresas continuem essa jornada de usar o digital para inovar e crescer, ajudando na recuperação econômica do país.

Aproveitem a leitura!

signature

Fabio Coelho,

Presidente do Google Brasil,

vice-presidente da Google Inc.